Plástica Tocantins Plástica São Paulo Plástica Paraná Plástica Pará Plástica Maranhão Plástica Mato Grosso do Sul Plástica Bahia Plástica Alagoas Plástica Acre Plástica Espirito Santo Plástica Piauí Plástica Mato Grosso Plástica Ceará Plástica Minas Portal Plástica Sergipe Portal Plástica Pernambuco Portal Plástica Rio Plástica Santa Catarina Plástica Rondônia Plástica Paraiba Plástica Rio Grande do Sul Plástica Amazonas Plástica Amapá Plástica Rio Grande do Norte Portal Plástica Goiás Plástica Roraima Plástica Brasília

ESCLEROTERAPIA - REMOÇÃO DE VEIAS COM LASER


Juntas, as teleangiectasias e as veias varicosas afetam cerca de 80 milhões de pessoas nos Estados Unidos a cada ano. As teleangiectasias são mais comumente localizadas na face e nas pernas. Em contraste, as veias varicosas tendem a ser localizadas na parte de trás da panturrilha ou ao longo da parte interna da perna. Embora os médicos não compreendam plenamente a causa das veias varicosas e teleangiectasias, fatores como genética, ganho de peso, e as flutuações hormonais relacionadas com a gravidez, pílulas anticoncepcionais e terapia de reposição hormonal, assim como ficar sentada ou em pé por longos períodos de tempo são atribuídos. Além de indesejáveis, algumas formas de teleangiectasias e veias varicosas causam desconforto, dor na perna e por vezes outras doenças. A escleroterapia, tratamento mais comum, é seguro, eficaz e praticamente indolor, podendo ser usado no tratamento de teleangiectasias e veias varicosas.

3D Animation

Fluxo sanguíneo nas pernas

Antes de saber como tratar a teleangiectasias e as veias varicosas usando escleroterapia, é necessário compreender o que causa o aparecimento de teleangiectasias e veias varicosas. O sistema circulatório é composto de artérias e veias. As artérias transportam sangue oxigenado do coração e pulmões para o organismo. Ao contrário, veias transportam sangue de volta ao coração e pulmões. As teleangiectasias e as veias varicosas ocorrem em maior frequência nas pernas, sendo conhecidas como veias superficiais. Isso se deve a fato de as veias estarem submetidas a grande pressão, precisando trabalhar mais ativamente que outras veias para realizar o transporte de sangue para o coração, contra força da gravidade.

Fluxo sanguíneo nas pernas

Qual a causa das teleangiectasias e veias varicosas?

O sangue flui normalmente a partir dos vasos superficiais em veias profundas, conectadas através de veias perfurantes. Geralmente, as veias contam com válvulas unidirecionais que evitam o refluxo de sangue para a veia, em seu trajeto para coração e pulmões. Caso as válvulas das veias perfurantes ou veias superficiais não funcionam adequadamente, parte do sangue reflui e se acumula formando um pequeno “lago” venoso. À medida que o sangue se acumula, a pressão aumenta na parede da veia, causando enfraquecimento e tornando-a dilatada, ou distendida. Como resultado, formam-se as teleangiectasias e as veias varicosas na região.

Qual a causa das teleangiectasias e veias varicosas?

Diferenças entre teleangiectasias e veias varicosas

Embora de causa semelhante, teleangiectasias e veias varicosas não são iguais. Teleangiectasias são geralmente emaranhados de veias de tom azulado ou avermelhado abaixo da superfície da pele. Apresentam características semelhantes à teia de aranha, circulares, ou independentes de outras veias. Ao contrário das teleangiectasias, as veias varicosas são edemaciadas, em forma de cordão torcido com elevação na superfície da pele. Geralmente, mais profundas que as teleangiectasias, apresentam coloração violácea ou azulada, e podem causar dor, câimbras, aumento de volume, e fadiga nas pernas. Enquanto a escleroterapia é usada no tratamento de grande variedade de teleangiectasias e veias varicosas, o tratamento cirúrgico deve ser indicado para veias varicosas de médio e grande calibre.

Diferenças entre teleangiectasias e veias varicosas

Como funciona a escleroterapia

Durante a escleroterapia, um laser emite energia da luz que viaja através da pele e é absorvida pela hemoglobina dentro das veias afetadas. A hemoglobina é uma proteína responsável pelo transporte de oxigênio no sangue, o que dá ao sangue sua cor vermelha. À medida que a hemoglobina absorve a energia da luz, o sangue dentro da veia coagula. Consequentemente, a veia colapsa e, eventualmente, é reabsorvida pelo organismo. A terapia a laser pode reduzir o aparecimento das teleangiectasias e de pequenas veias varicosas na perna em até aproximadamente 30 a 40% em um único tratamento. Com o tempo, as veias são absorvidas pelo organismo, restabelecendo a aparência lisa e jovem da pele. Como outras terapias para remoção de veias, geralmente são necessários tratamentos múltiplos para se atingir os resultados desejados, embora a escleroterapia reduza significativamente a maioria das teleangiectasias e algumas veias varicosas pequenas.

Como funciona a escleroterapia

Preparação para o procedimento

Antes de iniciar seu procedimento, o médico pode aplicar um gel refrescante na área do tratamento, o que ajudará a evitar que o calor produzido pelo laser danifique a pele. Em contrapartida, o médico pode utilizar um laser especial com uma ponta refrescante que aplica uma solução de resfriamento na medida em que o laser desliza sobre a pele. Como o processo geralmente não é muito doloroso, habitualmente um anestésico não é necessário. No entanto, um anestésico tópico pode ser necessário, se você for especialmente sensível à dor. Provavelmente, você receberá um par de óculos para proteger seus olhos da luz intensa produzida pelo laser. A duração de um procedimento de escleroterapia depende da extensão do tratamento, embora em média, dure aproximadamente vinte minutos.

Preparação para o procedimento

Procedimento de escleroterapia

Durante o procedimento, o médico orientará o laser sobre a área do tratamento. À medida que o laser pulsa intermitentemente, ele fornece energia da luz que viaja pela pele e é absorvida pela hemoglobina dentro das veias. Na medida em que a hemoglobina absorve a energia da luz, o sangue que foi coletado nas veias dilatadas coagulará. Ao passo que isso acontece, as veias danificadas entrarão em colapso. Com o tempo, as veias danificadas serão reabsorvidas pelo organismo, reduzindo seu surgimento. Embora o surgimento das teleangiectasias ou de veias varicosas possa ser significativamente reduzido durante um único tratamento, é importante lembrar que, em geral, vários tratamentos são necessários para tratar completamente uma única área.

Procedimento de escleroterapia

Recuperação da escleroterapia

Após o procedimento, sua pele pode parecer vermelha ou irritada. No entanto, provavelmente a vermelhidão irá desaparecer dentro de um a dois dias. Além disso, é possível que alguns hematomas sejam observados, os quais desaparecerão em aproximadamente quatro semanas. Dependendo da extensão do tratamento, e se terapia a laser é usada em conjunto com outro procedimento, muito provavelmente você estará apta a retornar para suas atividades normais logo após o procedimento.

Recuperação da escleroterapia

Resultados da escleroterapia

Como, normalmente, as veias não desaparecem com um único tratamento, muito provavelmente você terá que passar por vários tratamentos, com aproximadamente de cinco a seis semanas de intervalo. Embora o número de tratamentos varie de pessoa para pessoa, a maioria recebe aproximadamente de dois a quatro tratamentos. Os resultados do procedimento de escleroterapia dependem da espessura e extensão das veias que necessitam de tratamento. É importante notar que a escleroterapia pode não remover completamente as teleangiectasias e veias varicosas, nem prevenir o aparecimento de novas veias dilatadas. Contudo, a escleroterapia melhora significativamente a aparência geral, de maneira segura e eficaz, proporcionando a aparência lisa da pele, como desejado.

Resultados da escleroterapia

Cadastre-se para receber nosso informativo por e-mail
nome:
e-mail:

 
Dr. Emmanuella Araújo De Oliveira
Cirurgião Plástico
CRM-AL: 5222
RQE: 2535
GOIANIA
Dr. Fernando Juliano Gaia Duarte
Cirurgião Plástico
CRM-AL: 2326
RQE: 601
MACEIO
Dr. Aloysio Araujo Da Silva Nono
Cirurgião Plástico
CRM-AL: 4743
RQE: 2859
MACEIO / AL
Dr. Felipe Araújo Mendonça Costa
Cirurgião Plástico
CRM-AL: 4880
RQE: 2837
MACEIO
Dr. Lourival Cézar De Oliveira
Cirurgião Plástico
CRM-AL: 603
RQE: 1186
MACEIÓ
Dr. Gustavo Bahia Quintella
Cirurgião Plástico
CRM-AL: 2842
RQE: 1893
MACEIO
Dr. Fernando Cézar De Almeida Lins
Cirurgião Plástico
CRM-AL: 2406
RQE: 1312
ARAPIRACA
Dr. José Antônio Pacheco Nunes
Cirurgião Plástico
CRM-AL: 1930
RQE: 565
MACEIO
Dr. Pedro Lopes Gomes
Cirurgião Plástico
CRM-AL: 5189
RQE: 2848

Dr. Thyago Menezes De Carvalho
Cirurgião Plástico
CRM-AL: 5040
RQE: 2758
MACEIÓ
Dr. Kristhian Soares Cavalcante
Cirurgião Plástico
CRM-AL: 4560
RQE: 1830
MACEIO
Dr. Pedro Lopes Gomes
Cirurgião Plástico
CRM-AL: 5189
RQE: 2848

Dr. Viviane Honorio Mendonça Da Costa
Cirurgião Plástico
CRM-AL: 3692
RQE: 994
MACEIO
Dr. Paulo Sérgio Silvestre De Moura
Cirurgião Plástico
CRM-AL: 3670
RQE: 2428
MACEIO
Dr. José Antônio Pacheco Nunes
Cirurgião Plástico
CRM-AL: 1930
RQE: 565
MACEIO
Dr. Luíz Alberto Lopes Ferreira
Cirurgião Plástico
CRM-AL: 1409
RQE: 269
MACEIO
Dr. Lourival Cézar De Oliveira
Cirurgião Plástico
CRM-AL: 603
RQE: 1186
MACEIÓ
Dr. Thyago Menezes De Carvalho
Cirurgião Plástico
CRM-AL: 5040
RQE: 2758
MACEIÓ
Dr. Aloysio Araujo Da Silva Nono
Cirurgião Plástico
CRM-AL: 4743
RQE: 2859
MACEIO / AL
Listar Todos

Cirurgia Plástica é Com Cirurgião Plástico
Pesquisa Google
Cirurgias Plásticas
ABDOME - ABDOMINOPLASTIA CLÁSSICA ABDOME - ABDOMINOPLASTIA EM ÂNCORA ABDOME - ABDOMINOPLASTIA MINI
ABDOME - LIPOABDOMINOPLASTIA ABDOME - LIPOASPIRAÇÃO ÁCIDO HIALURÔNICO
ACNE - TRATAMENTO A LASER BIOPLASTIA BRAÇO - LIPOASPIRAÇÃO
BRAÇO - PLÁSTICA CABELO - EXPANSÃO DO COURO CABELUDO CABELO - REDUÇÃO DO COURO CABELUDO
CABELO - TRANSPLANTE CAPILAR CERATOSES CICATRIZES
CICATRIZES - TRATAMENTO A LASER CICATRIZES - TRATAMENTO CIRÚRGICO CIRURGIA CIRCUNFERENCIAL (360º)
CIRURGIA MICOGRÁFICA DE MOHS CISTOS COLÁGENO
CORPO - LIPOESCULTURA COXAS - IMPLANTE COXAS - LIFTING
COXAS - LIPOASPIRAÇÃO CRÂNIO E FACE - DEFORMIDADES CONGÊNITAS CRANIO MAXILO FACIAL
CULOTE - LIPOASPIRAÇÃO DEPILAÇÃO A LASER ESCLEROTERAPIA - REMOÇÃO DE VEIAS COM LASER
ESTRIAS - TRATAMENTO A LASER FACE - LIFITING DO TERÇO INFERIOR FACE - LIFITING DO TERÇO MÉDIO
FACE - MINILIFTING FACE - PLÁSTICA FACE - REJUVENESCIMENTO POR FIOS(RFA-ROUND BLOCK)
FISSURAS LÁBIO PALATO GLÚTEOS - LIPOASPIRAÇÃO GLÚTEOS - LIPOENXERTIA
GLÚTEOS - PRÓTESE HEMANGIOMAS HIPERIDROSE AXILAR
IMPLANTES DE BOCHECHA - MALAR LIFTING TESTA - CORONAL LIPOMAS
MAMA - IMPLANTE DE SILICONE MAMA - MAMOPLASTIA DE REDUÇÃO MAMA - MAMOPLASTIA DE REDUÇÃO VIA AXILAR
MAMA - RECONSTRUÇÃO APÓS MASTECTOMIA MAMA - SUSPENSÃO MAMA - SUSPENSÃO COM IMPLANTES
MÃOS - REJUVENESCIMENTO A LASER MÃOS - REJUVENESCIMENTO ENXERTO DE GORDURA MICRODERMOABRASÃO
NARIZ - RINOPLASTIA ABERTA NARIZ - RINOPLASTIA FECHADA NINFOPLASTIA - CIRURGIA ÍNTIMA FEMININA
NINFOPLASTIA - CIRURGIA ÍNTIMA MASCULINA OLHEIRAS - TRATAMENTO A LASER ORELHAS
ORELHAS - SEM CORTE ORTOGNÁTICAS PÁLPEBRAS - INFERIORES (EXTERNA)
PÁLPEBRAS - INFERIORES (INTERNA) PÁLPEBRAS - OCIDENTALIZAÇÃO PÁLPEBRAS - SUPERIORES
PANTURRILHA - PRÓTESE PEELING QUÍMICO MÉDIO PEELING QUÍMICO PROFUNDO
PEELING QUÍMICO SUPERFICIAL PEITORAL - GINECOMASTIA PEITORAL - PRÓTESE MASCULINA
PESCOÇO PESCOÇO - LIPOASPIRAÇÃO PROTETOR SOLAR
QUEIMADURAS - CIRURGIA REPARADORA QUEIXO - IMPLANTE PRÓTESE QUELÓIDES - TRATAMENTO A LASER
QUELÓIDES - TRATAMENTO CIRÚRGICO REJUVENESCIMENTO DE PELE COM LASER RUGAS - TRATAMENTO A LASER
SINAIS - RETIRADA SOBRANCELHAS - IMPLANTE CAPILAR TESTA - LIFITING
TESTA - LIFITING COM ENDOSCÓPIO TORSOPLASTIA TRANSFERÊNCIA DE GORDURA
TRATAMENTO DE RUGAS TRATAMENTO DE TELEANGIECTASIAS TUMORES DE PELE - TRATAMENTO CIRÚRGICO
VERRUGAS
Movimento Nacional de Valorização da Cirurgia Plástica